Como Criar um Formulário com o Microsoft Forms

Crie formulários online para pesquisa, teste ou votação com o Microsoft Forms, e receba o resultado das respostas em tempo real. O Microsoft Forms faz parte da lista de aplicativos do Office online, mas este aplicativo existe somente na versão web, diferentemente dos outros aplicativos, que possuem a versão para instalar no computador, através da aquisição do pacote ou de uma assinatura do Office.

Criando um Formulário

Para acessar o Microsoft Forms vá para a página https://forms.office.com, faça o login com a sua conta da Microsoft.


Na página inicial do Microsoft Forms, no painel “Novo” tem a opção de criar um “Novo Formulário”, “Novo Teste” ou selecionar um formulário a partir de alguns modelos já existentes.

Para criar um formulário novo, clique em “Novo Formulário” no painel “Novo”.


Digite o título e a descrição do seu formulário na guia “Perguntas”. Caso queira criar um formulário para teste, ao invés de "Novo Formulário", clique em “Novo Teste”.

O título do formulário pode ter até 90 caracteres, e a descrição até 1.000 caracteres. Você pode inserir uma imagem no título do formulário acessando o botão “Inserir Imagem”.


Para adicionar perguntas selecione “+ Adicionar Nova” e escolha o tipo de pergunta.


Na área de perguntas você pode selecionar entre várias opções. Para decidir qual pergunta usar, veja qual o tipo de resposta que deseja receber. Os tipos de perguntas são:

  • Opção: Neste tipo de pergunta você pode definir várias opções. A resposta vai ser uma das opções selecionada pelo respondente.
  • Texto: Este tipo de pergunta vai receber um texto como resposta.
  • Classificação: Este tipo de pergunta vai receber uma classificação, que pode ser numérica ou por número de estrelas.
  • Data: Este tipo de pergunta vai receber uma data como resposta.
  • Escala Likert: Neste tipo de pergunta existem várias instruções, onde o respondente vai selecionar a opção que reflete melhor a sua opinião.
  • Net Promoter Score: Neste tipo de pergunta o respondente vai fazer uma avaliação sobre a pergunta, podendo definir uma nota de 0 a 10
Para cada pergunta você pode definir se a resposta é obrigatória, selecionando a opção “Obrigatória”, e pode inserir uma mídia, imagem ou vídeo, selecionando o botão ao lado da descrição da pergunta.


Uma vez definidas as perguntas, é possível visualizar a apresentação no formato computador ou celular, e escolher um tema para o seu formulário. Para visualizar a apresentação selecione o link “Visualização” e para escolher um tema selecione o link “Tema” na parte superior direita do formulário.


Para definir o tema do formulário já existem algumas opções pré-definidas, ou você pode buscar imagens no Bing, no OneDrive ou de seu próprio computador, selecionando o botão "Carregar Imagem".

No modo de visualização é possível visualizar a apresentação do seu formulário, no dispositivo de preferência.

Enviando um Formulário

Com o formulário definido é necessário enviar para os respondentes, para que possam responder às perguntas. Você pode enviar o formulário através de um link, um QRCode, por e-mail, ou ser inserido em uma página web. Para enviar o formulário selecione o botão “Enviar” na parte superior direita do formulário.


Você pode também enviar o formulário como um modelo a ser utilizado em outras pesquisas. A função de modelo duplica o formulário, mas não as respostas. Para compartilhar como um modelo, selecione o link “+ Obter um link para duplicar”.

Visualizando as Respostas de um Formulário

Você pode visualizar em tempo real as respostas, conforme os respondentes forem respondendo às perguntas do formulário. Para acessar as respostas clique na guia “Respostas” na página do formulário.


Você pode visualizar as respostas selecionando o botão "Exibir resultados", ou através de uma planilha Excel, que pode ser acessada no link “Abrir no Excel”. A planilha exibe as respostas organizadas em colunas, juntamente com as informações de hora de início e conclusão do preenchimento do formulário.


O Microsoft Forms é uma ferramenta prática para coletar informações de pesquisa, teste ou votação no computador ou celular. Com a integração da planilha Excel, fica fácil visualizar e utilizar as respostas, para obter dados estatísticos e gráficos, sobre as informações coletadas no formulário.

Dicas de Como Escrever um Tutorial

A internet é hoje um local onde as pessoas recorrem para aprender como executar várias tarefas, processos, dar manutenção, usar um aplicativo, enfim é um local onde encontramos informação de como fazer “coisas”.  Estas dicas de como escrever um tutorial, vão te auxiliar a criar bons tutoriais, para sua audiência.

Dicas para Escrever um Tutorial

1. Deixe claro o objetivo. Descreva de forma clara o que o tutorial vai explicar sobre o assunto, o que a pessoa vai aprender, qual o objetivo. Escreva um título que deixe claro sobre o que é o tutorial, e faça uma descrição do que os leitores podem esperar, após finalizar a leitura.

2. Seja claro e conciso. O objetivo principal do tutorial é ensinar o leitor a fazer alguma "coisa", por exemplo, usar um produto ou aplicativo. Por esse motivo o tutorial deve ter um conteúdo simples e fácil de entender. Antes de escrever verifique qual é o conhecimento do leitor. Deixe claro quais são os pré-requisitos para entender o tutorial, por exemplo se o leitor não tem conhecimento nenhum do assunto, liste alguns materiais recomendados, que devem ser lidos antes de usar o tutorial. Se o leitor tem um conhecimento básico, explique o que o tutorial assume que o leitor já saiba sobre o assunto, para acompanhar o tutorial.

3. Use figuras. Existe um ditado que diz que uma "imagem vale mais do que mil palavras". Isso é bem verdade no caso de um tutorial. Para deixar mais claro inclua figuras, detalhando as etapas a serem seguidas, se for um tutorial sobre um aplicativo, inclua captura de telas com indicações, como setas, dos locais a que se refere a explicação.

4. Use exemplos. Coloque exemplos para mostrar como executar a tarefa ou processo que você está explicando. O exemplo facilita o entendimento, porque ler a teoria de como executar uma tarefa é bem diferente de executar a tarefa na prática. Com exemplos, o seu tutorial facilita o entendimento do leitor, e apresenta uma forma prática de testar e aplicar os conhecimentos obtidos.

5. Use uma estrutura organizada. Existem tutoriais curtos que podem ser escritos em uma única página, ou em um post de blog, ou tutoriais mais longos e elaborados que precisam de muitas páginas, e vários tópicos e subtópicos. Procure sempre estruturar seu tutorial separando os assuntos por tópicos e subtópicos de forma organizada, com vários passos e ordenados, para facilitar a leitura e posterior busca por determinado assunto. Para um tutorial mais longo coloque um índice de tópicos, para que o leitor veja todo o material que o tutorial trata, e facilite a busca por tópico ou palavra-chave.

6. Inclua uma lista de perguntas frequentes. Selecione as dúvidas mais frequentes sobre os assuntos do tutorial e monte uma lista de perguntas frequentes, inclua também aquelas informações que não se encaixam no fluxo normal do tutorial, a fim de evitar uma quebra nos passos do tutorial. Assim quando o leitor tiver uma dúvida que é bem comum, ele localiza com facilidade a resposta. Mantenha a lista de perguntas atualizadas, conforme for recebendo feedback de outros leitores.

7. Mantenha seu tutorial atualizado. Um tutorial é um documento que está em constante mudança. Cada vez que o produto ou aplicativo sofre alguma atualização, o tutorial deve acompanhar as atualizações. Como a maioria dos tutoriais estão na internet, ao invés de serem impressos, é bem mais simples manter o documento sempre atualizado.

8. Teste seu tutorial. Após finalizar o tutorial, execute os passos descritos, para verificar se está claro, e se não existem locais que podem gerar dúvidas na execução dos passos descritos. Essa é uma forma prática de verificar se o tutorial está completo. Se possível peça para outras pessoas verificarem o seu tutorial também, isso ajuda a ver se existem pontos que não estão claros ou se está faltando alguma informação.

Um tutorial bem escrito, organizado e objetivo facilita o aprendizado das pessoas, que estão à procura de informações, em locais que explicam como executar tarefas, processos, dar manutenção em algum aparelho, ou simplesmente aprender a usar um aplicativo. Espero que estas dicas de como escrever um tutorial ajudem no seu próximo tutorial.

Como Proteger o Histórico de Atividades no Google

O Google mantêm o seu histórico de atividades registrado em sua conta, o histórico abrange as atividades na Web e Apps, de localização e do YouTube. Você pode controlar quais atividades deseja manter o histórico, e o período de permanência das informações em sua conta. Se você usa um dispositivo compartilhado essas informações podem estar disponíveis para outras pessoas, que acessam o mesmo dispositivo.

Para manter sua privacidade, você pode proteger seu histórico de atividades no Google com uma verificação extra, de modo que outras pessoas não tenham acesso às suas atividades, se estiver usando um dispositivo compartilhado.

Protegendo seu Histórico de Atividades

Para proteger o seu histórico de atividades, acesse a página activity.google.com, clique no link “Gerenciar a verificação do Minha Atividade”.


Na pop-up “Gerenciar verificação no Minha Atividade”, selecione “Exigir a verificação extra”.


O Google apresenta a página de login da sua conta, digite sua senha. A partir de agora, para visualizar o histórico de suas atividades, você deve clicar no botão “Verificar” na página “Google Minha Atividade”.

Mas lembre-se que o recurso extra de verificação de suas atividades do Google, usa os seus dados de login para proteger o acesso, por isso se você estiver usando um gerenciador de senhas, ou se o navegador grava seu acesso à conta do Google, esse recurso não vai ajudar a proteger as suas atividades. Para ajudar a proteger o seu histórico de atividades, você não deve habilitar a gravação da senha em seu dispositivo. Tenha sempre cuidado com o acessa às suas senhas.

Como Criar Tabela Dinâmica no Planilhas Google

Com a tabela dinâmica do Planilhas Google, podemos criar tabelas que fazem totalizações e contagens dos dados a partir de outra tabela. Esse recurso é útil para totalizar, contar itens ou fazer várias outras operações matemáticas de forma dinâmica, ou seja, conforme alteramos os dados da tabela de origem, obtemos a atualização da contagem ou totalização na tabela dinâmica automaticamente. Com esse recurso podemos montar relatórios, que são atualizados conforme os dados são inseridos na tabela.

Este post mostra como criar tabela dinâmica usando Planilhas Google, através de dois exemplos, um que faz a totalização de gastos realizados por cliente, e o outro que faz a contagem de clientes no período.

A tabela de clientes que será a tabela de origem para a tabela dinâmica, possui uma coluna com a data, nome do cliente e valor total gasto.


A partir desta tabela vamos gerar duas tabelas dinâmicas, a primeira para totalizar o gasto de cada cliente no período de três meses, que é o período de origem das informações, e a segunda para contar o número de vezes que cada cliente fez compras, no mesmo período de três meses.

Durante a criação da tabela dinâmica existe a opção de criar a tabela na mesma página ou em uma nova página. Você pode escolher o que for melhor para o seu caso. Nos exemplos do post vamos colocar em uma nova página, para ficar mais organizado, porque separando os dados de origem da tabela dinâmica, fica mais fácil para visualizar, como se fosse um relatório, e dá mais liberdade para inserir dados na tabela de origem.

Criando a Tabela Dinâmica

Para cria a tabela dinâmica abra a Planilha Google, selecione todas as células onde estão os dados, vá até o menu Dados > Tabela Dinâmica. Na janela “Criar tabela dinâmica” observe que o campo “Intervalo de dados” já está preenchido com o intervalo dos dados que você selecionou. No campo “Inserir em”, selecione “Nova página”, para criar a tabela dinâmica em uma página nova na planilha, ou “Página existente”, para inserir a tabela dinâmica na página atual, se optar por essa opção, preencha o campo logo abaixo, com a informação da célula onde quer iniciar a tabela dinâmica. Vamos selecionar a opção “Nova página”.

O Planilhas Google cria uma página nova chamada “Tabela Dinâmica1”, e abre o painel “Editor da tabela dinâmica” do lado direito da página.


No painel “Editor da tabela dinâmica” você pode definir as linhas e colunas de sua tabela dinâmica, preenchendo os campos:

  • Linhas: Este campo define as linhas da tabela dinâmica.
  • Colunas: Este campo define as colunas da tabela dinâmica.
  • Valores: Este campo define qual operação vamos realizar na tabela dinâmica.
  • Filtros: Este campo define a coluna para usar como filtro.

Uma vez criada a tabela dinâmica vazia, podemos agora configurar a tabela, para obter os dados com os cálculos desejados.

Tabela Dinâmica para Totalizar Valores

Para exemplificar como criar a tabela dinâmica para totalizar valores, vamos usar a tabela vazia criada anteriormente e preencher os campos do painel “Editor da tabela dinâmica”:

No campo “Linhas”, clique em “Adicionar” e selecione a coluna “Clientes”.

No campo “Valores”, clique em “Adicionar” e selecione a coluna “Total”. No painel “Total”, no campo “Resumir por”, selecione “SUM”. Veja o resultado da tabela dinâmica, a partir dos dados de origem.


Se quiser filtrar os dados da tabela dinâmica preencha o campo “Filtros” no painel “Editor da tabela dinâmica”. No campo “Filtro”, clique em “Adicionar” e selecione a coluna que deseja configurar o filtro. Na tabela dinâmica de totalização, selecionamos o campo “Clientes”.

Veja o resultado do filtro que exibe o gasto de três clientes, com a totalização de todos os gastos.


O filtro possui várias configurações onde você pode aprimorar os tipos de filtros. Você pode selecionar filtros por condição ou por valores. Para visualizar todas as opções selecione a lista suspensa “Status”, no painel “Clientes”.


Tabela Dinâmica para Contar Itens

Para exemplificar como criar a tabela dinâmica para contar itens, vamos usar a tabela vazia criada anteriormente e preencher os campos do painel “Editor da tabela dinâmica”:

No campo “Linhas”, clique em “Adicionar” e selecione a coluna “Clientes”.

No campo “Valores”, clique em “Adicionar” e selecione a coluna “Clientes”. No painel “Clientes”, no campo “Resumir por”, selecione “COUNTA”. Veja o resultado da tabela dinâmica, a partir dos dados de origem.


Para filtrar os dados, você pode usar o mesmo procedimento usado na tabela dinâmica, para totalizar valores.

Com o recurso de criar tabela dinâmica do Planilhas Google, você pode montar relatórios dinâmicos com informações de totalização, contagem e várias outras operações matemáticas, a partir de seus dados, e manter o relatório atualizado, mesmo com alterações nos seus dados de origem.

Como Gerar Dados Geográficos no Excel

No Excel você pode gerar uma tabela com dados geográficos usando a ferramenta de conversão de tipos de dados do próprio Excel. As informações são obtidas de uma fonte de dados online, dessa forma você vai obter dados atualizados, por exemplo, de área, fusos horários, latitude, longitude, população.

Veja neste post um exemplo de uso de dados geográficos, através da geração de uma tabela com algumas Localidades do Brasil, contendo os dados geográficos de cada Localidade. A única informação que você precisa inserir é o nome da Localidade, a partir daí podemos obter as demais informações geográficas.

Vou partir de uma tabela com o nome das Localidades e as colunas Área, Latitude, Longitude e População.


Gerando Dados Geográficos

Na planilha com a tabela de Localidades, selecione todas as Localidades, vá para a guia “Dados”, clique em “Geografia”, no grupo “Tipo de Dados”. Se o tipo de dados “Geografia” não estiver visível, clique na seta “Mais” para ver mais opções.


Após o Excel converter o nome das Localidades em tipo Geografia, você vai ver um ícone do lado esquerdo do nome da Localidade (1), e quando clicar na Localidade vai ver o botão “Adicionar Coluna” (2).

Com todas as Localidades selecionadas, clique no botão “Adicionar Coluna”, e selecione o dado que deseja inserir, por exemplo, Área. Como todas as Localidades estão selecionadas, o Excel preenche a informação em todas as Localidades. Para cada dado que deseja inserir, repita o mesmo procedimento. Veja o resultado da tabela formatada, com os dados preenchidos.

Como os dados são vinculados de fontes da internet, pode acontecer do Excel não conseguir obter todos os dados, como é o caso da Localidade de Minas Gerais, que não tem as informações de latitude e longitude. Isso pode acontecer por alguns motivos como, o campo referenciado ser protegido por atribuição, estar em um formato que o Excel não conseguiu ler ou o campo referenciado não se aplica ao tipo de dados. No caso da tabela, o Excel usou no momento da conversão os dados da Cidade de São Paulo, da Cidade do Rio de Janeiro e do Estado de Minas Gerais

A quantidade de dados disponíveis pode variar, de acordo com o dado de origem. Se utilizar por exemplo País, ao invés de Estado ou Cidade, o Excel exibe uma lista bem maior de dados disponíveis.


Além dos dados existem também imagens. Veja a imagem para a Cidade de São Paulo.


No momento de fazer a conversão do tipo de dados, o Excel faz uma busca na internet para procurar informações sobre o dado. Se você selecionar somente uma linha da Localidade, o Excel pode exibir a janela Seletor de Dados. Por exemplo, para a Localidade de São Paulo, o Excel vai exibir a janela “Seletor de Dados”, com opções referentes a palavra São Paulo. Você deve escolher qual dos resultados corresponde a sua pesquisa. No exemplo abaixo a diferença é que na primeira opção são as informações da Cidade de São Paulo, e na segunda são as informações do Estado de São Paulo.


Com a conversão de tipo de dados do Excel, fica fácil preencher dados geográficos de informações tipo cidade, estado ou país. Além do tipo de dados geográfico, o Excel também possui outros tipos de conversão de dados. Alguns estão disponíveis somente com a assinatura do Microsoft 365. Você pode ver todas as opções disponíveis, acessando a guia “Dados”, no grupo “Tipo de Dados”.

Com Realçar Valores Duplicados no Planilhas Google

No Planilhas Google é possível realçar com cores os valores duplicados em uma coluna, facilitando a visualização dos valores repetidos. Veja como realçar os valores duplicados usando fórmula e formatação condicional.

Para mostrar como realçar os valores duplicados, vou usar uma planilha com uma coluna preenchida com valores numéricos. Entre os valores existem alguns repetidos.


Para realçar os valores duplicados vá até o menu FORMATAR > FORMATAÇÃO CONDICIONAL, na planilha onde está a lista numérica.


No painel “Regras de formatação Condicional”, na aba “Cor Única”, preencha o item “Aplicar ao intervalo”, o intervalo de linhas onde estão os valores, no exemplo, os valores estão entre as linhas A1 e A10.

Na seção “Regras de formatação”, selecione no campo “Formatar células se...”, a opção “A fórmula personalizada é”. No próximo campo digite a fórmula:

=COUNTIF(A:A; A1)>1 

Na fórmula o valor A:A representa a coluna, A1 a célula inicial onde estão os valores, e >1 define que o valor apareça mais de uma vez.

No campo “Estilo de formatação” defina a formatação que deseja aplicar nos valores repetidos. No exemplo, está definido que os valores repetidos devem estar em negrito e com o fundo na cor amarela. Clique no botão “Concluído”.

O uso da formatação condicional para realçar os valores duplicados no Planilhas Google, é muito útil para visualizar de forma fácil os itens repetidos em uma lista. Essa fórmula é válida tanto para valores numéricos como para texto. No caso de texto a fórmula não diferencia letras maiúsculas de letras minúsculas, por exemplo, o nome João e joão conta como itens repetidos.

Como Fazer Captura de Tela com o Edge

O navegador Microsoft Edge inseriu recentemente o recurso de captura de tela. Agora podemos capturar um recorte ou a tela completa de qualquer página da web diretamente do Edge.

Com a tela capturada é possível copiar a imagem para a área de transferência e depois colar em outro aplicativo, adicionar marcações, compartilhar e até salvar no computador local.

Para iniciar a captura da tela abra o Edge, acesse o menu no canto superior direito e clique em “Captura da web”.

O Edge exibe as opções “Escolha Livre” ou “Página Completa”.

A opção “Escolha Livre” exibe um ponteiro com o sinal de “+” para você selecionar a área que deseja capturar. Arraste o ponteiro pela área que deseja capturar.

Após a seleção da área para captura, o Edge exibe do lado da área selecionada para captura, as opções “Copiar” ou “Adicionar observação”.

A opção “Copiar” copia a imagem da área selecionada para a área de transferência. Neste caso você pode colar a imagem em outros aplicativos.

A opção “Adicionar observação” abre a janela “Captura da Web”. Nessa janela você pode desenhar, apagar, compartilhar, copiar e salvar a imagem.


A opção “Página Completa” captura a tela inteira da página web e já abre a janela “Captura da Web” para você fazer modificações, compartilhar, copiar ou salvar a imagem.

O recurso de captura de tela no Edge facilita muito o trabalho de capturar e salvar imagens, partes da página web e até mesmo a página inteira, porque pode ser realizado sem o uso de outras ferramentas, tornando a captura da imagem mais rápida.

Como Filtrar e Contar Valores Distintos no Excel

Apesar do Excel ser mais comum como uma planilha de cálculo, podemos também usá-lo para armazenar e obter informações estatísticas dos dados. Veja nesse tutorial como filtrar e contar o número de vezes que aparecem os nomes distintos de uma lista, com vários nomes repetidos.

Usando fórmulas do Excel você vai ver como filtrar os nomes distintos, ou seja, somente os nomes únicos, gerar uma lista com esses nomes e contar quantas vezes cada nome aparece na lista original. Vamos partir de uma lista com 19 nomes, sendo que vários deles aparecem mais de uma vez. 

A planilha inicial apresenta a lista de nomes com vários nomes repetidos. A partir dessa lista vamos filtrar e contar os nomes distintos.

Filtrando Itens Distintos

Para filtrar os itens distintos digite a seguinte fórmula na célula “B2” da barra de fórmulas, e pressione ENTER.

=SEERRO(ÍNDICE($A$2:$A$20;CORRESP(0;CONT.SE($B$1:B1;$A$2:$A$20);0));"")

A célula “B2” exibe o primeiro nome distinto. Selecione a célula “B2”, clique no quadrado verde no canto inferior direito da célula e arraste até a célula “B20”.


Você vai obter a lista de nomes distintos na coluna "B" da planilha.

Contando Itens Distintos

Para contar os itens distintos digite a seguinte fórmula na célula “C2” da barra de fórmulas, e pressione ENTER.

=SOMARPRODUTO(CONT.SE($A$2:$A$20;B2))

A célula “C2” exibe o número de vezes que aparece o nome “Adriana”. Selecione a célula “C2”, clique no quadrado verde no canto inferior direito da célula e arraste até a célula “C20”.


Você vai obter a contagem de cada nome distinto na coluna "B" da planilha.

Veja o resultado completo do filtro e contagem dos nomes distintos a partir de uma lista de nomes. A coluna “A” possui a lista de nomes de origem, a coluna “B” a lista de nomes distintos, e a coluna “C” a contagem do número de vezes que o nome da coluna “B” aparece na coluna ‘A”.


Usando fórmulas você pode facilmente filtrar e contar itens distintos de listas armazenadas no Excel.

Como Traduzir Funções do Excel

O Excel possui várias fórmulas para executar cálculos, automatizar planilhas, tratar dados e muitos outros recursos que o tornam uma ferramenta útil para armazenar e tratar dados.

Existem muitas fórmulas com diferentes graus de dificuldade, e quando precisamos usar alguma fórmula, nem sempre localizamos em português. Na internet existem muitos tutoriais sobre o Excel, com exemplos utilizando as fórmulas com seus nomes originais em inglês.

Se você estiver usando o Excel em português vai precisar do nome das funções nas fórmulas em português. Para resolver esse problema a Microsoft desenvolveu um suplemento chamado Tradutor de Funções, que traduz o nome das funções de um idioma para outro.

Nesse tutorial você vai aprender como instalar, configurar e usar o tradutor de funções do Excel.

Como Instalar o Tradutor de Funções

Para instalar o Tradutor de Funções abra o Excel, vá até a guia "Inserir", selecione "Suplementos" e depois "Obter Suplementos".


Na janela "Suplementos do Office" escolha "Produtividade" no painel do lado esquerdo, e depois clique no botão "Adicionar" do item "Functions Translator".


O Excel instala o suplemento que vai aparecer na guia "Página Inicial". 

Como Configurar o Tradutor de Funções

Para configurar os idiomas no Tradutor de Funções vá até a guia "Página Inicial", selecione "Tradutor" no grupo "Tradutor de Funções".


No painel Tradutor de Funções selecione o ícone de configurações localizado no rodapé do painel.


No painel de "Preferências" você pode configurar o idioma de origem, e depois para qual idioma deseja traduzir. Para traduzir de inglês para português selecione "Inglês" na lista suspensa "De" e "Português" na lista suspensa "Para".


Como Usar o Tradutor de Funções

Para usar o Tradutor de Funções vá até a guia "Página Inicial", selecione "Tradutor" no grupo "Tradutor de Funções".
  1. No painel "Tradutor de Funções" abra a guia "Tradutor".
  2. Copie ou digite a fórmula que deseja traduzir no primeiro campo.
  3. Clique no botão com a seta para baixo para fazer a tradução. 
  4. Observe no segundo campo a fórmula traduzida.


Agora é só usar a fórmula traduzida em sua planilha.

No painel Tradutor de Funções além da guia "Tradutor" tem a guia "Referência" e "Dicionário".

A guia "Referência" exibe as funções por categoria. Você pode selecionar a categoria desejada e obter uma listagem com as funções nos dois idiomas configurados, no caso inglês e português. 

Para acessar a lista de categorias vá até a aba "Referência" no painel "Tradutor de Funções", selecione a categoria desejada na lista suspensa "Categoria da Função". Veja logo abaixo a listagem das funções da categoria selecionada, nos dois idiomas.


A guia "Dicionário" faz a busca da função a partir de qualquer parte do nome da função. 

Para acessar o Dicionário vá até a aba "Dicionário", digite a função a ser pesquisada no campo "Nome da função". No exemplo abaixo, buscamos a função CONCATENATE. Veja logo abaixo a função localizada. A busca da função pode ser realizada em ambos os idiomas definido na configuração do Tradutor de Funções.


Com o suplemento Tradutor de Funções fica fácil localizar e traduzir as funções no Excel.

Como Gerar Números Aleatórios no Excel

A Planilha Excel possui várias funções para gerar números aleatórios. Existem funções para gerar números simples, números entre uma faixa de valores e até mesmo tabelas. Com pequenas alterações de formatação dos números aleatórios é possível obter conjuntos de dados de vários tipos como datas, porcentagens, valores financeiros. Esses conjuntos de dados com números aleatórios podem ser usados, por exemplo, em testes de fórmulas e gráficos.

Gerar Números Aleatórios

A função "ALEATÓRIO()" gera números aleatórios com valores maiores e igual a 0 e menores do que 1. Para usar a função digite na barra de fórmulas: 

=ALEATÓRIO()

Observe que o Excel gera um número com o valor entre 0 e 1.


Você pode exibir os números em vários formatos como por exemplo, moeda ou porcentagem. Para formatar o número selecione o grupo "Células", na guia "Página Inicial", e clique em "Formatar". No menu drop-down selecione "Formatar Células".


Na janela "Formatar Células" selecione "Moeda" na opção Categoria, e na opção "Números Negativos" selecione o segundo item e clique em "Ok".


A célula apresenta o valor R$0,19. Se selecionar a Categoria "Porcentagem" a célula apresentará o valor 18,90%.

Gerar Números Aleatórios Entre Dois Valores

A função "ALEATÓRIOENTRE(inferior, superior)" permite gerar números aleatórios e definir quais os limites inferior e superior do número. 

Para gerar um número entre 1 e 1000 digite na barra de fórmulas:

=ALEATÓRIOENTRE(1;1000)

onde, o número 1 é o limite inferior e o número 1000 o limite superior.


Com essa mesma função é possível criar também datas aleatórias, já que o Excel usa número para armazenar os valores de data.

Para gerar uma data entre 05/01/2021 e 20/02/2021 digite na barra de fórmulas:

=ALEATÓRIOENTRE(DATA(2021;1;5);DATA(2021;2;20))

Observe que o Excel gera um número e não uma data.


Para exibir a data é necessário fazer a formatação do número.  Para formatar o número selecione o grupo "Células", na guia "Página Inicial" e clique em "Formatar". No menu drop-down selecione "Formatar Células".


Na janela "Formatar Células" selecione "Data" na opção Categoria, e na opção "Tipo" selecione a formatação da data desejada e clique em "Ok".


 A célula apresenta a data no formato selecionado.


Gerar Tabela de Números Aleatorios

A função "MATRIZALEATÓRIA([linhas];[colunas];[min];[max];[inteiro])" cria uma tabela de números aleatórios. Essa função possui vários parâmetros opcionais para customizar os valores gerados na matriz. Os parâmetros são:
  • linhas: número de linhas da tabela.
  • colunas: número de colunas da tabela.
  • min: valor mínimo do número gerado.
  • max: valor máximo do número gerado.
  • inteiro: booleano que define se o número deve ser inteiro ou ponto flutuante.
Para gerar uma tabela com 3 linhas por 5 colunas, com valores entre 1 e 500 inteiros, digite na barra de fórmulas:

=MATRIZALEATÓRIA(3;5;1;500;VERDADEIRO)


Em todos os exemplos com geração de números aleatórios observe que os valores dos números mudam quando altera algum valor na planilha ou salva a planilha. Esse é o comportamento quando o cálculo automático está habilitado, o que é o padrão nas planilhas Excel.

Para alterar o comportamento do cálculo de uma planilha selecione o grupo "Cálculo", na guia "Fórmulas" e a opção "Manual".


Mas lembre-se se a planilha estiver configurada para fazer os cálculos de forma "Manual", é necessário clicar em "Calcular Agora" (1) sempre que quiser fazer algum cálculo na planilha.

Com as funções "ALEATÓRIO", "ALEATORIOENTRE" e "MATRIZALEATÓRIA" podemos criar conjuntos de dados com valores fictícios bem variados, que nos ajuda a aprender a fazer gráficos ou trabalhar com formatação.

Para ver como gerar números aleatórios no Planilhas Google ao invés do Excel, acesse o tutorial Como Gerar Números Aleatórios no Planilhas Google.