A Evolução da Web


Photo by Markus Spiske temporausch.com from Pexels

Tim Berners-Lee iniciou o desenvolvimento da web em 1989 para resolver um problema de dificuldade para compartilhar informações nos computadores do CERN - local de seu trabalho na época. Vários cientistas vinham de muitas partes do mundo para usar os aceleradores do CERN, mas tinham dificuldades com os documentos. As informações estavam distribuídas em vários computadores que tinham aplicativos e linguagens diferentes dificultando o acesso.

Para resolver o problema Tim Berners-Lee resolveu usar uma tecnologia nova que estava em desenvolvimento na época, a internet, juntamente com o hypertext, que era uma tecnologia emergente, como uma forma de compartilhar informações.

Com estas duas tecnologias, internet e hypertext, ele desenvolveu outras três tecnologias que usamos até hoje na web:
  • HTML (HyperText Markup Language):  Linguagem de formatação markup da web. 
  • URI (Uniform Resource Identifier):  Um tipo de endereço usado para identificar unicamente cada recurso da web, mas conhecido como URL. 
  • HTTP (Hypertext Transfer Protocol): Protocolo usado para recuperar os recursos ligados por toda a web
Desde o lançamento em 1990 até os dias de hoje a web vem evoluindo em termos de tecnologia, tipo e quantidade de conteúdo, e número de usuários. Para entender a evolução da web durante todo o período, conheça as diversas fases da web da versão 1.0 até a web 3.0.

Web 1.0 - Web informativa

Antes de 1999 a internet era conhecida como um local de acesso às informações no formato somente leitura. Não existia uma interação entre os sites e os usuários. Os sites apresentavam as informações, e os usuários conseguiam fazer pesquisas e localizar as informações de interesse.

Nesta versão da web não existia a comunicação entre as empresas e os consumidores, e não era fácil contribuir com informações. Apesar que o comércio através dos carrinhos de compra já existia, e o formato que usamos atualmente no comércio eletrônico é muito parecido com o que era feito na web 1.0. As empresas apresentavam o seu produto em formato de catálogo e qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo poderia adquirir o produto.

A web 1.0 era praticamente no formato somente leitura, estática, e com formato monodirecional.

Web 2.0 - Web colaborativa

A falta de interação entre os usuários e a web fez com que nascesse a web 2.0, onde os usuários tinham um local para escrever e publicar conteúdo facilmente. Com a web 2.0 apareceram algumas formas para obter, publicar, e compartilhar informações como:

  • Redes Sociais: Plataformas de compartilhamento de informações. 
  • Blogs: Inicialmente eram utilizados como diários compartilhados e depois como uma forma de publicação de informações de vários tópicos. 
  • Fóruns: Plataformas onde as pessoas podem fazer perguntas e obter as respostas sobre vários assuntos ou informações de produtos. 
  • Wikis: Sites utilizados na publicação de conteúdos escritos por vários autores de forma colaborativa.
Além disto surgiu também os serviços web (web services) que proporcionaram a interação entre computadores na internet.

A web 2.0 transformou a web de somente leitura para leitura-escrita, com páginas mais flexíveis, e formato bidirecional.

Web 3.0 - Web semântica

Na web 2.0 as buscas se baseiam somente nas palavras-chaves, para localizar uma informação. Com o aumento de informações sendo inseridas na web, o retorno das buscas baseadas somente em palavras-chaves não era o suficiente para encontrar a informação correta, o que faltava era o contexto onde estava inserida a palavra-chave. As buscas precisavam levar em conta não só as palavras-chaves, mas o contexto em que elas se encontravam. Este foi um dos avanços da web 3.0 que permitiu, por exemplo, exibir anúncios baseado nas preferências do usuário.

Juntando a capacidade de usar o contexto e os serviços web, a web 3.0 permitiu que as aplicações pudessem se comunicar entre si, com uma possibilidade de fazer buscas de forma mais ampla, com interfaces mais simples.

Além disto a web 3.0 está começando a fazer uso de imagens animadas no formato SVG que por ser um formato vetorial, permite a apresentação de figuras e imagens animadas usando poucos recursos de processamento.

O propósito principal da web semântica é fazer com que a web possa ser lida por outros computadores, além do ser humano.


Além da versão 3.0 da web que estamos usando nos dias de hoje, encontramos também na internet referências sobre a web 4.0, conhecida como web simbiótica, cujos especialistas dizem será capaz de fazer a interação entre computadores e as pessoas, e a web 5.0, chamada de web emocional, que dizem será capaz de interagir com as pessoas de forma emocional. Mas tudo isto ainda são teorias do que está por vir no futuro.

Como Usar o Web Clipper do OneNote


Quando navegamos pela internet às vezes queremos capturar uma página da web para leitura posterior ou simplesmente armazenar a informação para um uso no futuro. Uma forma de fazer a captura e armazenamento do conteúdo de uma página web é através do Web Clipper do OneNote.

O Web Clipper do OneNote funciona como uma extensão no navegador Chrome. Com ele você pode capturar uma página inteira, uma região, um artigo ou mesmo um link para a página, e depois organizar no OneNote. O OneNote está disponível para acesso via web, em vários dispositivos, e vem instalado por padrão no Windows 10.

Como instalar

Para instalar o Web Clipper no Chrome vá até o Chrome Web Store, procure pela extensão OneNote, e adicione ao seu navegador.


Como usar 

Para usar o OneNote Web Clipper abra em seu navegador a página com o conteúdo que deseja capturar e salvar. Acesse o ícone do OneNote Web Clipper  na área de extensões do navegador, que fica localizado ao lado da barra de endereços, e faça o login em sua conta Microsoft. O login é necessário somente no primeiro acesso.


O Web Clipper do OneNote pode salvar o conteúdo da web em vários formatos.
  • Página Inteira: Faz a captura da tela inteira exatamente como você está visualizando.
  • Região: Faz a seleção e captura da região de seu interesse.
  • Artigo: Recorta apenas o artigo, retirando todos os outros componentes da página, para facilitar a leitura e impressão do texto.
  • Indicador: Recorta apenas uma miniatura com o título, resumo, e um link para o conteúdo.
Selecione o formato desejado e o local onde salvar o conteúdo. Você pode selecionar o bloco de anotações e a seção.

Como acessar o conteúdo salvo 

O aplicativo OneNote está disponível em vários dispositivos além da versão para o Windows 10. Existem também versões para:
  • Mac
  • Ipad
  • iPhone
  • Android
  • Web
Para versões de Windows anteriores ao Windows 10 existe a opção de download no site da Microsoft.

Após salvar o conteúdo da web vá até o OneNote de seu dispositivo de preferência e veja o conteúdo salvo no bloco e seção especificados, no momento da captura do conteúdo.

A versão web dá acesso ao OneNote online. A Microsoft armazena o conteúdo do OneNote em sua conta do OneDrive.

O Web Clipper do OneNote é uma ferramenta útil e prática para armazenar e organizar conteúdos da internet.

Como Fazer Preenchimento Automático de Texto no Word


Em alguns momentos quando precisamos inserir um texto qualquer em um documento, simplesmente para demonstração ou impressão para visualizar, por exemplo, a formatação do layout é melhor não utilizar o texto definitivo, porque ele pode não estar pronto ou não pode ser exibido, por questões de marketing ou qualquer outro motivo, antes do lançamento oficial.

Neste caso seria interessante ter uma forma de criar um texto que simule um texto real de forma automática. Já vimos em alguns documentos na internet o texto que começa com a frase lorem ipsum, que é um texto em latim e não possui nenhum significado além de simular um texto.

O Microsoft Word permite criar este e outros tipos de textos através de algumas funções não muito conhecidas. Veja agora como fazer o preenchimento automático de texto no Word usando as funções lorem() e rand().

Função lorem()

A função lorem() cria um texto em latim. Para criar o texto digite na página do word =lorem()



Selecione Enter.


A função insere cinco parágrafos com número de sentenças variado de um texto em latim .

Você pode definir o número de parágrafos e sentenças usando os parâmetros parágrafo e sentenças da função lorem(parágrafo, sentença).

Por exemplo, para inserir um texto em latim com 6 parágrafos e 5 sentenças cada um, digite =lorem(6, 5)

Função rand()

A função rand() insere um texto escolhido aleatoriamente pelo Word de um material de suporte dos produtos Microsoft. Para criar o texto digite na página do word =rand()



 Selecione Enter.


A função insere cinco parágrafos com número de sentenças variado de um texto com material de suporte.

Você pode definir o número de parágrafos e sentenças usando os parâmetros parágrafo sentenças da função rand(parágrafo, sentença).

Por exemplo, para inserir um texto de suporte com 4 parágrafos e 10 sentenças cada um digite =rand(4, 10)


Função rand.old()

Existe uma outra opção para a função rand() conhecida como rand.old() que exibe as letras do alfabeto em três parágrafos com três sentenças.


A função também possui os parâmetros parágrafos e sentenças, rand.old(parágrafos, sentenças). Por exemplo, para inserir 5 parágrafos com 6 sentenças contendo as letras do alfabeto digite =rand.old(5,6)

Atenção:  Se a função de preenchimento automático de texto não funcionar, verifique se a opção Substituir texto ao digitar está selecionada na aba de Auto Correção na caixa de Auto Correção. Você pode verificar acessando o menu Arquivo > Opções. Na caixa Opções do Word selecione o item Revisão de Texto e o botão Opções de Auto Correção.




Com as funções lorem() e rand() fica fácil inserir textos de forma automática em apresentações, onde ainda não possuímos os textos definitivos.