O Que é a Indústria 4.0

Indústria 4.0

Algumas pessoas dizem que estamos entrando em uma nova revolução industrial por causa da chamada Indústria 4.0, mas o que é a Indústria 4.0, o que mudou recentemente para pensarmos em uma revolução industrial. Qual a diferença da indústria em funcionamento atualmente. Descubra o que é a Indústria 4.0 e quais as mudanças esperadas para o futuro.

Evolução da Indústria

Para entender o que vem a ser a Indústria 4.0 vamos conhecer a evolução da indústria desde o início até os dias de hoje.

Indústria 1.0

O início da industrialização começou na Inglaterra no século 18 com as máquinas movidas à vapor e a utilização de água, que mecanizaram alguns trabalhos realizados pelos trabalhadores de forma manual. A “indústria” como passou a ser chamada iniciou no setor de agricultura e logo em seguida foi para o setor têxtil.

Indústria 2.0

A próxima revolução industrial apareceu com a invenção da eletricidade juntamente com a criação da linha de montagem e produção em massa. Além disso outros setores foram introduzidos na indústria como o telégrafo e as ferrovias.

O início da produção do aço ajudou a introduzir as ferrovias, que por consequência aumentaram a produção em massa. Uma outra área que merece destaque foi a evolução da química com a produção de corante sintético.

Infelizmente a revolução industrial sofreu uma parada com relação a evolução devido a Primeira Guerra Mundial. A produção em massa continuou somente na área relacionada a guerra, como produção de material bélico, mas não ocorreram evoluções.

Indústria 3.0

A Indústria 3.0 iniciou-se após a Segunda Guerra Mundial com a substituição dos sistemas analógicos e mecânicos pelos digitais e ficou conhecida como Revolução Digital ou Era da Informação.

Essa indústria está relacionada com computadores, com o começo da automação, e a tecnologia da informação e comunicação.

Indústria 4.0

A Indústria 4.0 traz a indústria para um novo patamar com a automação dos processos de produção com a introdução da tecnologia customizável e mais flexível da produção em massa.

Isso significa que as máquinas vão começar a operar de forma mais independente sendo capazes de coletar, analisar os dados obtidos, e se comunicar entre si usando a tecnologia da Internet das Coisas, essa comunicação passou a ser conhecida como Sistema Cyber-Físico (CPS sigla em inglês), que faz a integração entre a computação e os processos físicos. Os fabricantes serão capazes de se comunicar com os computadores ao invés de somente operá-los.

evolução da indústria

Definição da Indústria 4.0

O termo Indústria 4.0 apareceu em 2011 onde um grupo de representantes de vários setores da Alemanha começou a discutir como melhorar a competitividade da indústria alemã. O governo alemão resolveu utilizar a ideia para o planejamento da evolução tecnológica da indústria para 2020. Logo em seguida fundou-se um grupo de trabalho para fazer aconselhamento sobre a Indústria 4.0.

A Indústria 4.0 introduziu o termo “fábricas inteligentes” onde o sistema cyber-físico monitora o processo físico da fábrica, tomando decisões descentralizadas a partir da coleta e análise das informações obtidas através Internet das Coisas. 

Para que uma indústria seja considerada como Indústria 4.0 precisa atender alguns princípios:

  • Interoperabilidade: As máquinas, dispositivos, sensores e pessoas devem se comunicar entre si. Este é o princípio mais importante de todos.
  • Transparência de Informação: Deve ser capaz de fazer uma cópia virtual do que ocorre no mundo físico usando as informações dos sensores, e ser capaz de monitorar o que ocorre no meio ambiente de forma a obter a informação contextualizada.
  • Assistência Técnica: Deve ser capaz de dar suporte aos humanos na tomada de decisões e soluções de problemas, além de auxiliar nas tarefas complexas e inseguras.
  • Decisões Descentralizadas: Deve ser capaz de tomar decisões e agir de forma autônoma para customizar produtos ou resolver problemas, de forma a gerar um ambiente flexível de produção.
  • Tempo Real: Deve ser capaz de coletar dados em tempo real, armazená-los e analisa-los de forma a conseguir resolver os problemas. Esse não é um requisito somente para um mercado de pesquisas, mas também para uma linha de montagem de produção.
  • Orientação a Serviço: Deve ser capaz de produzir de acordo com a especificação do cliente.
  • Modularidade: Atualmente as fábricas produzem sempre de uma mesma forma orientadas ao movimento do mercado, não permitindo mudanças rápidas em sua forma de produção, caso ocorra alguma mudança no mercado. As fábricas inteligentes devem ser capazes de mudar a produção de acordo com mudanças sazonais e mudanças de mercado de forma rápida.

Vantagens e Desafios

A Indústria 4.0 vai revolucionar o processo da indústria que conhecemos hoje, mas como toda revolução existem vantagens e desafios.

Vantagens

Algumas vantagens que a Indústria 4.0 vai trazer:

  • Otimização: A “fábrica inteligente” vai usar cada vez mais dispositivos inteligentes com a capacidade de melhorar o processo da industrialização, isso vai ser benéfico para a indústria que usa equipamentos de alta tecnologia, fazendo com que o processo tenha um tempo menor de inatividade.
  • Customização: O fato da indústria ser orientada ao cliente gera uma flexibilidade no mercado produzindo os produtos de forma mais rápida, atendendo as necessidades do cliente.
  • Incentivo à Pesquisa: A Indústria 4.0 precisa do desenvolvimento de novas tecnologias gerando mais pesquisas em diversas áreas como por exemplo, segurança da informação. Isso vai gerar mais treinamento e pesquisas. A indústria vai precisar de profissionais com conhecimentos e habilidades conhecidas ou que vão ser desenvolvidas.

Desafios

A Indústria 4.0 está trazendo muitas novidades, mas como toda novidade existem também os desafios que precisamos começar a pensar como:

  • Segurança dos Dados: A cada integração de sistemas deve existir um cuidado cada vez maior com a segurança dos dados. Com a inclusão da tecnologia da Internet das Coisas onde cada vez mais os sistemas e equipamentos estão conectados, existe um risco com a segurança das informações e uma dificuldade em garantir essa segurança.
  • Confiabilidade e Estabilidade: A comunicação entre os sistemas precisa apresentar uma confiabilidade e estabilidade que infelizmente é difícil garantir e manter o tempo todo durante o funcionamento do sistema.
  • Perda de Emprego: Sempre que aumentamos a automação das fábricas é inevitável a perda de empregos em alguns cargos. A indústria vai precisar de funcionários com habilidades e conhecimentos novos. Algumas profissões como conhecemos hoje deixarão de existir e aparecerão novas profissões.
  • Investimento: A Indústria 4.0 vai precisar de grandes investimentos pela necessidade de desenvolvimento e pesquisa de novas tecnologias. Isso não vai ser barato e provavelmente somente as grandes empresas terão condições de investir, as pequenas empresas não vão poder acompanhar e como consequência podem perder a sua fatia de mercado.
  • Privacidade: A Indústria 4.0 vai precisar cada vez mais dados do consumidor para produzir os produtos de acordo com a necessidade do consumidor. As informações vão ser compartilhadas entre vários setores e entre empresas. O cuidado e como vão ser tratadas essas informações apresentam um grande desafio para a indústria.

Além desses desafios existe uma falta de conhecimento, experiência e mão de obra para trabalhar com essas tecnologias, exatamente por serem novas. Também temos o problema de falta de investimento em pesquisa e produção de novas tecnologias.

Apesar dos desafios e preocupações a Indústria 4.0 pode trazer benefícios como, melhorar a vida do trabalhador e a produção em locais de risco a fim de melhorar a saúde e a segurança dos trabalhadores, além de criar uma indústria mais eficaz e produtiva.

Referências:
What Everyone Must Know About Industry 4.0
Industry 4.0

5 Boas Práticas para Escrever um Documento

Boas práticas para escrever um documento

Para tornar um documento claro, objetivo e de fácil entendimento podemos aplicar algumas práticas de escrita que irão transforma-lo em um documento de qualidade. Você não precisa usar todas as práticas de uma só vez, pode usar de acordo com a necessidade e o contexto do documento. Se for um contrato não vai ter gráficos, agora se for um manual é interessante ter figuras ou mesmo gráficos para ilustrar a informação.

Conheça agora cinco boas práticas de escrita para aumentar a qualidade e fazer um documento claro, objetivo e que passe a informação de forma compreensível ou tire a dúvida que o leitor possui.

1. Defina uma Hierarquia

Se você está escrevendo um documento tipo carta, memorando ou um e-mail não é necessário colocar título, porque são documentos com normalmente somente uma página. Agora se você for escrever um documento mais longo tipo relatório ou manual torna-se necessário incluir títulos para dividir os tópicos, e tornar o documento compreensível para o leitor.

Sem uma hierarquia os leitores vão achar o documento confuso e de difícil localização das informações. Uma hierarquia de título clara e lógica é essencial para qualquer documento longo.

O recomendado é construir uma hierarquia lógica com o título principal e algumas subseções, 3 ou 4 subseções no máximo, para não confundir o leitor. Veja um exemplo na Figura 1.

Figura 1 - Exemplo de Hierarquia de Títulos
Seguem algumas regras para montar uma hierarquia lógica:
  • Evite título único dentro de uma seção, coloque dois ou mais títulos.
  • Evite colocar um título seguido de outro título sem um texto no meio.
  • Evite pular níveis de títulos para manter um padrão no estilo dos títulos por exemplo, o título1 deve ser seguido pelo título2 e assim sucessivamente.

2. Escreva Parágrafos Curtos

Os parágrafos são utilizados para organizar o texto em blocos e podem ser divididos em tópicos. Quando mudar de tópico crie um parágrafo novo.

Geralmente o parágrafo é composto de 3 ou 4 sentenças em documentos. Evite parágrafos muito longos para não intimidar o leitor.

Comece cada parágrafo com uma sentença sobre o tópico. Coloque o assunto geral do tópico na primeira sentença e somente depois detalhe o tópico nas demais sentenças.

Não tem problema “quebrar” o parágrafo entre páginas, somente evite deixar uma linha única no começo ou no final de uma página.

3. Use Títulos Informativos

Os títulos são importantes para descrever a informação detalhada do texto logo abaixo do título. É importante colocar um título informativo para auxiliar o leitor a decidir qual parte do documento possui a informação desejada, principalmente em documentos longos como manuais.

Como boa prática na construção de títulos:
  • Use títulos que descrevam o tópico, não o tipo de informação. Evite títulos como por exemplo, “Mais Informações”, “Resultados”, “Procedimentos”, “Diversos”. Se o título for para uma tarefa utilize o verbo no gerúndio por exemplo, “Salvando o Arquivo”.
  • Mantenha o título curto com no máximo quatro ou cinco palavras, se possível.
  • Evite numerar os títulos. A numeração de título é importante somente se for necessário fazer uma referência exata da seção como por exemplo, em documentos de especificação.
  • Use títulos similares por exemplo, se você utilizar verbo no imperativo, então faça com que todos os títulos sejam do mesmo padrão.
  • Escolha uma forma única de utilizar os títulos em letra maiúscula. Escolha entre colocar a primeira letra maiúscula em todas as palavras com exceção dos artigos e preposições, ou utilizar o formato jornalístico, somente a primeira letra da primeira palavra em maiúsculo.

4. Mostre a Informação Através de Gráficos

Dependendo do tipo de informação fica mais fácil para o leitor entender se for apresentado como uma figura ou gráfico. Veja exemplos de informação representada em gráficos no post O Que é Visualização de Dados

Quando você está escrevendo o texto analise se a informação vai ser mais fácil de entender em formato de parágrafos ou através de:
  • Lista de marcadores,
  • Caixa de texto,
  • Textos laterais,
  • Tabelas,
  • Listas numeradas,
  • Imagens,
  • Diagramas,
  • Captura de telas,
  • Gráficos.

Exibir a informação em outros formatos além de blocos de parágrafos facilita o entendimento e auxilia o leitor a localizar a informação de forma mais rápida.

5. Escreva de Forma Clara

Os documentos utilizados para os negócios são documentos com o propósito de comunicar a informação de forma rápida e de maneira clara.

Evite utilizar palavras complicadas e sentenças longas. Escreva objetivamente utilizando palavras do dia a dia e sentenças curtas, dando preferência ao formato sujeito-verbo-objeto.

As boas práticas para escrever um documento podem ser utilizadas em vários tipos de documentos como manuais, relatórios, especificações, guias e muitos outros tipos. Para melhorar a qualidade de seus documentos vá inserindo aos poucos as boas práticas, com o tempo você já vai estar habituado a usar as boas práticas de escrita.

Posts Relacionados:

Como Colocar Capa no Word


O Word da Microsoft além de ser um processador de texto para escrever documentos e outras publicações, também pode ser utilizado para escrever um livro ou um ebook. O problema é depois de finalizado o livro como colocar uma capa no documento.

Vou mostrar uma das formas de inserir uma imagem na primeira folha de um documento Word, de modo a preencher toda a página.

1. Insira uma folha de rosto em seu documento acessando o menu INSERIR > FOLHA DE ROSTO


2. Pode selecionar qualquer modelo porque vamos substituir o modelo pela nossa capa.

3. Apague todos os elementos do modelo da capa e deixe a página em branco sem nenhum elemento.

4. Insira uma Caixa de Texto na página acessando o menu INSERIR > CAIXA DE TEXTO. Selecione o menu DESENHAR CAIXA DE TEXTO.


5. Ajuste a Caixa de Texto de modo que ela fique do tamanho da página que vai servir como capa.

6. Com a Caixa de Texto selecionada, insira a imagem da capa do livro acessando o menu FORMATAR > PREENCHIMENTO DA FORMA > IMAGEM.


NOTA: O menu FORMATAR aparece somente quando você seleciona a Caixa de Texto.

7. O Word dimensiona a imagem no tamanho da Caixa de Texto.


Pronto o seu documento ou ebook possui uma capa de livro.

5 Estratégias para Escrever um Documento

Photo by Kaboompics .com from Pexels


Escrever bem não é uma atividade fácil. Muitos escritores têm dificuldade para escrever, inclusive os escritores profissionais. Em algum momento ou mesmo com uma certa frequência o escritor sofre bloqueios, tem dificuldade em organizar o documento, comete erros simples ou demora muito tempo para conseguir escrever.

Conheça 5 estratégias que podem fazer com que você seja mais produtivo quando for escrever um documento.

1. Prepare um Esboço

Antes de iniciar a escrita de qualquer tipo de documento faça um esboço dos tópicos que você quer escrever. Estude o assunto e organize-o de modo que você possa apresentar o conteúdo de uma forma simples, organizada e lógica.

Uma boa forma de organizar o conteúdo é fazer um esboço da tabela de conteúdo do documento. Com o esboço da tabela você tem uma visão do que precisa escrever e qual a ordem.

2. Escreva e Edite

Não tente escrever e editar ao mesmo tempo. Essas são duas atividades que devem ser feitas separadamente e em momentos diferentes.

Se você editar enquanto escreve o texto, o seu raciocínio é interrompido a cada momento que edita algum erro. Essa interrupção atrapalha o fluxo do seu raciocínio e diminui a sua produtividade.

Muitos escritores acham que é mais rápido e produtivo escrever primeiro e somente depois editar o que produziu, sem ficar tentando tornar o texto perfeito na primeira vez e ficar interrompendo o raciocínio a todo momento.

3. Escreva, Revise e Edite

Planeje passar pelo documento pelo menos três vezes. A primeira vez escreva, faça um rascunho, pesquise, obtenha a informação que você precisa, e comece a escrever. Alguns escritores acham que escrevem melhor quando escrevem rápido. Não se preocupe nesse momento em tornar o documento perfeito.

Na segunda vez revise, verifique os problemas maiores como a organização da informação, se existe informação incorreta ou faltante, se o texto está claro. Nesse passo você pode ter que reescrever algumas seções.

Na terceira vez edite, nesse momento verifique a gramática, a pontuação e o estilo da escrita. Se tudo estiver correto essa pode ser a verificação final.

4. Espere Dois ou Três Dias antes de Reescrever

Você deve achar difícil revisar e editar um texto que acabou de escrever. Este problema tem a ver com a memória-curta, ou seja aquela memória que armazenamos por um curto período de tempo.

Como acabamos de escrever o texto ele ainda está armazenado na memória. Fica difícil visualizar os problemas. Após uns dois ou três dias você já não se lembra totalmente do texto, esse é um bom momento para revisar e editar.

Quando você ler o texto novamente vai ser um texto novo para você, então fica mais fácil encontrar os problemas e até mesmo rever algumas sentenças.

5. Leia o Texto em Voz Alta

Quando você finalizar leia em voz alta e escute atentamente o texto. Nesse passo você vai conseguir identificar se ainda existe algum problema e se o texto está em um formato conversacional. Esse é um bom formato para deixar o texto claro para quem está lendo.

Essas cinco estratégias para escrever ajudam bastante em qualquer modalidade de escrita que você precisa fazer, seja um material de ficção, de não ficção ou até mesmo um documento técnico.

Posts Relacionados

7 Dicas de Como Planejar um Documento

Planeje seu Documento

Muitos escritores começam a escrever sem ter a menor ideia de qual caminho tomar. Isso se aplica a várias áreas de escrita como por exemplo, ficção, negócios ou até mesmo acadêmica. Se você for escrever em e-mail tudo bem não planejar antes, porque você já sabe o que vai escrever. Agora se você for escrever um manual ou um relatório é necessário fazer um planejamento antes de iniciar a escrita.

O planejamento vai auxiliar nas tomadas de decisões sobre quais tópicos e níveis de detalhamento que você deve colocar no documento, além de apresentar uma visão clara e organizada que o documento deve possuir na apresentação final. Com esta visão fica mais fácil e rápido elaborar o documento.

Antes de iniciar um documento devemos nos fazer algumas perguntas:
  1. Porque estou escrevendo este documento?
  2. Qual o objetivo?
  3. Quem vai ler e qual informação a pessoa necessita.
Conheça neste post 7 dicas que você pode utilizar para auxiliar no planejamento de um documento e tornar a escrita mais rápida.

1. Defina qual o Propósito

Defina o motivo de escrever o documento. Sem uma definição clara do propósito do documento fica difícil escrever. Como você vai saber qual informação incluir e o nível de detalhamento necessário. Alguns exemplos de propósito podem ser:
  • Interpretar resultados de laboratório
  • Fornecer instruções
  • Descrever serviços disponíveis para o cliente
  • Reportar a solução para um problema
  • Iniciar um novo procedimento
  • Estabelecer sua credibilidade profissional
  • Gerar Negócios

2. Defina seus Objetivos

Antes de iniciar a escrita de qualquer tipo de documento precisamos definir qual o objetivo do documento, por exemplo fazer com que um usuário consiga utilizar um software, um técnico consiga instalar um equipamento, um cliente consiga montar um equipamento.

Definir o objetivo é importante porque além de guiar o curso da escrita do documento, auxilia a verificar se atingiu o objetivo desejado após a finalização do documento.

3. Defina sua Audiência

Conhecer a audiência é importante para escrever um documento. Se você conhece a audiência fica mais fácil definir como escrever e o grau de dificuldade do texto. Se a audiência é um grupo de pessoas por exemplo, técnicos especializados de uma área específica, o documento pode ter mais termos técnicos da área e você não precisa se preocupar em definir todos os termos, porque a audiência já conhece o assunto.

Se for um grupo de pessoas com conhecimento variado e você precisa escrever um documento técnico, vai ser necessário explicar com mais detalhes os termos técnicos, porque nem todas as pessoas da audiência conhecem o assunto. Escrever um documento desse tipo é um pouco mais complicado.

Procure conhecer a sua audiência, pesquise quais são os interesses, quais são as informações que a audiência necessita. Somente após conhecer a sua audiência é que você deve escrever o documento.

4. Entenda o Tipo de Documento

A forma que as pessoas leem depende do tipo de material. Se for um livro para distração, tipo uma aventura ou um romance, as pessoas leem do começo ao fim. Se for uma apostila ou livro didático o leitor normalmente lê os capítulos de interesse e antes de ler o próximo capítulo procuram entender o capítulo anterior, porque normalmente existe uma dependência no entendimento dos capítulos anteriores para entender o próximo.

Se for um manual ou um relatório o leitor procura diretamente a informação desejada. Os manuais são destinados principalmente para procurar informações, para resolver um problema, responder uma dúvida ou para completar uma tarefa.

Para esse tipo de documento você pode seguir alguns passos que facilitam a procura da informação pelo usuário, por exemplo:
  • Organize as informações relacionadas no mesmo local. 
  • Divida o texto em partes lógicas. 
  • Crie uma tabela de conteúdo com a relação dos tópicos. Se o documento possuir mais de 50 páginas crie também um índice alfabético. 
  • Utilize técnica de apresentação, tipo listas numeradas, tabelas e diagramas. 
  • Realce as palavras chaves e ideias.
Somente após definir o tipo de documento por exemplo, se livro, manual, apostila, relatório, você pode definir a organização e como vão ser apresentados os tópicos do documento.

5. Organize suas Ideias

Uma vez definido os tópicos que compõem o documento precisamos organizar, por isso considere:
  • Como a informação será utilizada. 
  • Como normalmente esse tipo de informação é organizada. Pesquise material semelhante. 
  • Os leitores estão familiarizados com as informações ou é necessário fazer a introdução e detalhar cada informação. 
  • Qual a relação lógica entre as diferentes partes da informação.

6. Organize seu Documento

A organização das informações não precisa ser idêntica em todo o documento, depende do tipo de informação. Uma seção pode estar em ordem de tópicos outra em ordem alfabética.

Pode-se organizar uma seção com a sequência de informações de forma a explicar os detalhes mais facilmente ou por ordem de tarefas.

A organização do documento vai depender do tipo de informação e como apresentar de forma a ficar clara, objetiva e lógica para o leitor.

7. Faça um Esboço Antes de Escrever

Antes de iniciar a escrita do documento faça um esboço das ideias principais. Se for um documento longo como um manual, faça antes um esboço da tabela de conteúdo com os tópicos principais e pelo menos um subtópico. Se o documento for mais complexo inclua vários níveis na tabela de conteúdo.

Um exemplo que posso citar é o Ebook Introdução ao Scrum que escrevi recentemente. Antes de iniciar o ebook fiz primeiro um esboço do que é atualmente a tabela de conteúdo. Este processo me ajudou a ter uma visão clara da organização que eu queria apresentar no documento.

O esboço serve para você visualizar o conteúdo necessário para o documento e para ajudar em uma reunião com as outras pessoas envolvidas no projeto.

Sem um planejamento anterior fica muito difícil escrever qualquer tipo de documento. Pode dar um pouco de trabalho fazer o planejamento antes, mas a recompensa vem depois. Esse tempo que você gasta fazendo o planejamento você ganha lá na frente, porque o rendimento no momento de escrever vai ser muito maior. Você já sabe exatamente que passos seguir, o que escrever e a organização da informação, isso faz com que o processo de escrever seja mais rápido. 

Post Relacionado